domingo, 2 de março de 2014

Reportagem da Revista AURORA retorna ao Maracajá/Pavão para reafirmar a verdade sobre a história da sepultura da filha do antigo vaqueiro do Pe. Cícero

Por José Cícero
Sr. Alonso Joaquim com JC durante visita à capelinha de Cotinha

Parte externa da Capelinha da jovem Cotinha no sítio Maracajá-Pavão
JC ao lado da Sra. Edite esposa de Seu Alonso Joaquim na entrevista
Antiga residência construída pelo pe. Cícero na localidade
Cordial seu Alonso Joaquim recebe nossa equipe de reportagem
No interior da capelinha diante da Cova de Cotinha
Esta semana estivemos em visita ao sítio Maracajá na região de Pavão - antigas terras que um dia pertenceram ao padre Cícero Romão Batista. Na época numa extensão  que perfazia 6 braças de terra de um lado e outro do rio Salgado sob os cuidados e a administração do seu compadre o célebre Cel. Cândido do Pavão. 
Seu Alonso durante a entrevista
Fomos mais uma vez entrevistar o morador e atual proprietário do lugar o senhor Alonso Joaquim(86 anos) sobre a recente matéria  publicada inicialmente na web e na imprensa de Juazeiro do Norte. Tal notícia se referia aos possíveis restos mortais da beata Maria de Araújo estarem sepultados naquele local. A versão dava  conta de que tais informações partiram do atual proprietário. Fato inclusive que o mesmo negou terminantemente.
REPORTAGEM PIONEIRA DA REVISTA AURORA: 
No final de 2006 lançamos o primeiro número da Revista Aurora que trazia em suas reportagens especiais de capa a verdadeira história sobre a antiga Casa construida no Maracajá pelo padre Cícero, que além do Pavão como criatório de gado e plantio de milho, também possuía as famosas minas do Coxá situadas nas proximidades. E que portanto, em cujo casarão morou por muitos anos o seu vaqueiro de nome Pedro Rodrigues e sua esposa dona Mariazinha. O casal tivera uma filha de nome Cotinha que morrera de Lepra(hanseníase) após anos de grande sofrimento. E como não pôde ser enterrada no cemitério nem de Aurora nem da então vila de Ingazeiras, os pais sob a orientação do própria padre Cícero a sepultou ali mesmo bem ao lado da casa num pequeno cercado rodeado de roseiras e pau a pique.
Exemplares da Revista Aurora-06/07
Hoje sobre a cova da jovem existe uma modesta capelinha e, em nome da jovem(segundo relatos populares como dos atuais moradores) muitas promessas são feitas e graças já foram alcançadas por muitos devotos não apenas da região. No interior da exígua capela, existem ainda um belo cruzeiro de madeira assim como uma bonita pedra inteiriça(extraído do horto) que serve de tampa sobre a sepultura da menina.
De modo que, toda verdade acerca deste fato nos foi relatada em 2006, tanto pelo sr. Alonso quanto pela sua esposa Dona Edite Gonçalves, que na época asseguraram ainda que um tio de nome Zeca Custódio(já falecido) havia participado de tal sepultamento.
Portanto, achamos no mínimo esquisito tal notícia veiculada acerca de uma outra versão diametralmente oposta a que apuramos. E assim fomos novamente entrevistá-los sobre a mesma pauta. Tal não foi nossa surpresa quando o mesmo informou que nada daquilo que escreveram recentemente no noticioso juazeirense havia saído da sua boca, ou seja, não dissera nada daquilo que lá publicaram. O que não deixa de ser ainda mais estranho e lamentável. A partir daí surgiu até a notícias acerca de uma possível exumação.
Grande cruzeiro da capela
Mas, convenhamos, cai por terra qualquer insinuação que não seja o da verdade, isto é, o que foi publicado anteriormente pela Revista Aurora e agora referendado pelo casal permanece de pé. Nenhum fato, por menor que o seja, aponta para a versão sobre a possibilidade dos restos mortais da beata Maria do Araújo estarem ali na cova de Cotinha.  
Uma pena que alguém possa querer mesmo após tantos anos  desvirtuar a verdade sobre um assunto tão sério como este. 
Que deixem a jovem Cotinha continuar descansando em  sua morada de paz. Ela, que inclusive em vida sofrera tanto.
.......................
Prof. José Cícero
Secretário de Cultura e Turismo
Aurora - CE.
fotos: Jean Charles -Jc
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Pequena Opinião sobre Reginaldo Rossi - Por José Cícero*

Sem o menor ânimo, hoje fugindo um pouco da rotina, não escreveria nada. Para piorar logo cedo, eis que recebo a triste notícia dando conta do falecimento do cantor Reginaldo Rossi na sua Recife onde se encontrava internado.
Porém, diante do bombardeio de manchetes e dos comentários similares publicados na internet como na imprensa em geral, não teve jeito, me impus mesmo contrariado, a escrever algo à guisa de modesta consideração pessoal acerca  do acontecido. Ainda, no tocante à farta e diversificada produção artística do bom e carismático Reginaldo Rossi.
Como é comum na imprensa marrom e, via de regra na mídia brasileira acostumadas demais às ideias de rebanhos e a beber na mesma fonte; quase todas as manchetes traziam em letras garrafais - "....Morreu RR, o Rei do Brega...". Ora, mas que besteira! Nada contra este vocábulo que muitos intitulam de gênero musical(se é que ele existe mesmo) mas ao meu juízo, creio que mais brega que os artificiais e descartáveis: Michel Teló, Luan Santana, Gabriel Valim, Gustavo Lima, Israel Novaes, além das bandas de Forró e, até um tal de sertanejo  universitário como tantos outros, que, graças a Deus não sei dos seus nomes. Todos juntos na mesma gamela dos jabás não são dignos sequer de ser comparados ao viés autoral do velho Reginaldo.
Gosto das canções do Rossi, mas até certo ponto... Presumo que, até o momento em que ele gravara o tal 'Garçom', que mesmo sendo uma composição ao meu ver de baixa qualidade (pasmem), foi justamente a música quem o alçou em definitivo, a condição de verdadeiro pop star e até a este tal título de rei de sei lá do quê...
Todavia, o Reginaldo Rossi foi muito mais que isso. Inteligente e versátil se fizera um bom cantor, excelente compositor e, num mundo onde quase todos logo se acham estrela e semideuses... Reginaldo se postou como ele mesmo, modesto um gentman, boa gente, diga-se de passagem.  Uma figura humana que nunca se deixou levar pela fama, tampouco pelo dinheiro que, como  se sabe, são coisas passageiras, como de resto tudo mais na vida...
Aliás, esse aspecto de pura  modéstia e simplicidade, ficou evidente quando o mesmo esteve aqui em Aurora em show popular em junho do ano passado. Quando, com invulgar delicadeza e alegria recebera todos os que  se diziam seu fãs na busca de um autógrafo, um aperto de mão ou um abraço.
Enfim, gosto das músicas do Rossi desde a sua fase galã da época áurea do Ei-ê,ê e da Jovem Guarda, anos 70 quando ele cantava e dizia "o rock vai voltar", cuja produção infelizmente hoje, as gravadoras parecem querer esconder do público. Gosto do Reginaldo desde a sua boa fase produtiva dos anos 80  e meados de 1990.
Hoje sei que o velho Rossi com sua excepcional inteligência teve que aderir a um outro estilo como forma de sobreviver diante de uma  mídia impositiva, bem como de um mercador cruel chamado indústria fonográfica. Aderira portanto, a este tal de Brega ou coisa parecida. Mas seguramente foi mais que isso... 
Teve sorte por se dá bem entre os leões. Ficou conhecido em todo o país. Dizem que até rico. Gravou muito, fez show pelo país inteiro. Vendeu bastante discos e conseguiu adentrar os grandes canais televisivos como a própria Globo. O que nunca foi possível para os verdadeiros reis da chamada música  brega, que também foram e ainda o são sensacionais, tais como: Bartô Galeno, Maurício Reis, Carlos André,Abílio Farias, Carlos Alexandre, dentre outros.
Sem dúvida, apenas uma das grandes contradições - coisas do Brasil - um artista popular do quilate do Reginaldo Rossi só se tornar conhecido pelo povo e respeitado pelos tubarões do mercado, quando teve que produzir  algo aquém do seu verdadeiro estilo e do seu potencial, a exemplo de Garçom,  Dia dos Cornos e por aí vai...
Penso que todos os que se dizem verdadeiramente fãs do R. Rossi precisam conhecer o conjunto da sua obra musical pretérita e aí haverão de ficar refertos e muito mais impressionados diante do enorme talento deste grande artista do Nordeste brasileiro. Apenas mais um ovacionado após a morte pelas elites preconceituosas. De maneira que, com a sua morte, a verdadeira música popular brasileira ficará muito mais pobre. Abre-se igualmente, uma imensa lacuna no contexto musical que jamais será preenchida. Primeiro, porque Reginaldo é inigualével e insubstituível em tudo que fez, depois, pelo triste fato de que  a música que ora  está sendo produzida e nos é oferecida goela abaixo pelos poderosos; de tão pífia e miserável não merece sequer o nome.
Com extrema saudade, viva Reginaldo Rossi que permanecerá eternamente vivo no meio de nós através das suas músicas que nunca morrerão.
------------------------------------
José Cícero
Secretário de Cultura e Turismo
Aurora - CE.
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Cezar Carneiro profere palestra no Centro espírita de Aurora



'Espiritismo na Atualidade'. Este foi o tema abordado na noite deste domingo( dia 1º de dezembro)  pelo palestrante espírita e escritor filho da terra  há anos radicado em Fortaleza - Cezar Carneiro(ver fotos). A palestra aconteceu no Núcleo Espírita Maria de Nazará - Nemane, de Aurora localizado no conjunto habitacional Casas Populares, cujo presidente atual é o Sr. Naro Macedo.
Um bom número de pessoas compareceu ao local para prestigiar de perto tão palpitante e proveitosa palestra. Aliás, uma série de esclarecimentos e orientações que foram muito além da doutrina karcecista. O que bem demonstrou toda a  desenvoltura e o alto grau de conhecimento do palestrante. O que por sua vez muito agradou a todos os que estiveram presentes ao acontecimento.
Cezar Carneiro é natural do sítio Caiçara de Aurora e residente na capital cearense já tendo publicado alguns livros sobre os mais diversos assuntos, a maioria   focalizando a doutrina espírita e temas afins.
Na oportunidade também foi feita a divulgação do seu mais recente trabalho, intitulado 'Adolescência - A Grande Transição', que inclusive foi distribuído gratuitamente aos participantes. 
No encontro da AFA de  2011 Cezar Carneiro esteve em Aurora fazendo o lançamento da sua obra, além da divulgação de várias outras. Naquela oportunidade o mesmo foi apresentado pelo agora presidente eleito da AFA - Dr. Francisco Pereira Torres.
Na segunda-feira, dia 2 à convite do movimento jovens soldados da paz. Cezar Carneiro também proferirá palestra  no auditório da Escola Técnica no bairro Araçá, a partir das  14:20h sobre o tema: 'Povo informado, sociedade livre". 
Toda a comunidade está sendo convidada.
.....................
JC - Da Redação.
Fotos: Jean Charles/Secult-Aurora.

LEIA MAIS EM:

Veja  também mais fotos 
no Blog da AFA e no Facebook.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

SAUDAÇÃO À AURORA NO SEU 130º ANIVERSÁRIO*



José Cícero
Aurora!
Qual dos teus filhos se arriscaria dá-se a difícil tarefa de encontrar a tua mais exata e adequada definição?
Sim. Porque Aurora, enquanto sentimento afetivo não se define simplesmente com palavras.
Porquanto se encontrar muito além de qualquer tradução etimológica
por meio da qual  as palavras adquirem sua mais alta significação.
Diríamos no entanto que Aurora, em última instância, é pura emoção...
De modo que a sua melhor definição reside na forma como  sentimos o mundo
como um tesouro poético incomensurável  escondido no fundo do peito.
Aurora é esse orgulho saudável e provinciano com o qual contrapomos aqui e alhures
todas as angústias impostas pela saudade e pela solidão  dos que estão distantes.
Um elevado estado de autoafirmação que experimentado onde quer que estejamos.
Aurora é esse ímpeto de coragem a nos impelir sempre para frente. Como se o futuro fosse a intercessão de todos os nossos caminhos possíveis. Isso porque em Aurora tudo o mais é atemporal.
A mais autêntica conotação de um passado inesquecível e glorioso, em cujas raízes nos mantemos presos para sempre, como uma árvore centenária fincada ao chão.
Aurora é, como diria Espinoza:  a mais verdadeira perspectiva da eternidade postas indefinidamente em nossas mãos. Sereia sertaneja a nos envolver completamente com o seu encanto e o seu feitiço de mulher amada. Razão de estarmos todos condenados a amá-la pela vida a fora, para o todo o sempre.Quem sabe, como uma criação shekesperiana, Aurora é a vitalidade de uma juventude indomável a fustigar todo o nosso sangue como se fosse o índio Cariri a se preparar para a guerra. 
Tal e qual a força descomunal do rio Salgado  na sua busca infinita de se encontrar com o mar; 
Rio selvagem que segue oprimindo sem nenhuma trégua todas as ribanceiras do seu caminho.
Aurora é a história viva de um povo forte e destemido
que aprendeu superar-se a si mesmo, tanto  na desventura, quanto e na adversidade para jamais se deixar ser escravo de ninguém.
Aurora é o gracioso sorriso de um futuro alvissareiro, como crianças de braços abertos ansiando abraçar  todos aqueles que lhe adoram e amam de verdade. A hospitalidade, a bravura e a solidariedade do homem sertanejo  encarnada no bondoso ofício e na presteza de sempre ser útil.
Aurora é também mulher, por isso a beleza, a delicadeza, a inteligência e a sedução com que se impõe diante da contemporaneidade de tudo o mais que lhe cerca e lhe adorna fazendo-a muito mais bonita, bondosa e cativante.
Aurora é a mais pura expressão jubilosa do mais absoluto contentamento juvenil e centenário.  Além da sensação glamorosa de harmonia e paz entre  os seus filhos e entusiastas do cosmopolitismo mundano.
É esta saudade ressabiada e distante, gritando forte dentro da gente que nunca se cala nem se acalenta. Literalmente a emoldurar todo o nosso ser, tão somente por não nos permitir conhecer tempo ou distância que nos faça sofrer.
Aurora é esse sentir indescritível de grandeza cívica e interior com que sempre encaramos genuflexos , a figura altiva do Sr. Menino Deus.
É ainda, por assim dizer, a certeza infinita de que todos os caminhos inapelavelmente nos levarão a ela. A esperança em pessoa, a nos emprestar sempre que necessitamos, a utopia e o sonho de viver feliz.
É o sonho possível de felicidade como salvaguarda para a nossa luta infinda e  cotidiana.
Por fim, Aurora é um estado de espírito... 
Sem ela o mundo não teria o menor sentido.
Ser aurorense, portanto, não tem preço.
Tudo o mais em Aurora fala por si mesmo.
Todo o resto é pura saudade ou solidão.
...........................

Por José Cícero
Secretário de Cultura
Aurora - CE.
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Agricultor ribeirinho de AURORA possui coleção de moedas antigas encontradas no leito do rio Salgado









Em matéria publicada aqui no Blog de Aurora edição do dia 3 junho de 2011 enfocávamos um inusitado achado de moedas antigas  nos muitos bancos de areias situados às margens do rio Salgado. Mais precisamente por ribeirinhos moradores do sítio Curralinho aqui mesmo no município de Aurora.  Algumas raridades datavam dos séculos XVI, XVII e XVIII. 
Mas tal achado ao que parece, não se restringe apenas  à região do Curralinho, vez que esta semana descobrimos um outro agricultor que possui  uma verdadeira coleção de moedas muito mais antigas e variadas do que as que relatamos na matéria pretérida. 
Algumas remotam, inclusive, à época do Brasil colônia, ou seja, foram cunhadas em Portugal visto que são datadas do século XVI. Outras do império, da república, do século XX e até mesmo fichas telefônicas que igualmente já caíram em desuso.
Tendo morado praticamente a vida inteira às margens do rio Salgado de Aurora, o tal agricultor desta feita da região do Calumbi/Santo Antonio disse vim juntando ao longo de todos estes  anos as citadas preciosidades. E, tampouco se dá conta da imensa importância histórica de tal achado.
O mais interessante é saber que todas as moedas foram e continuam ainda até hoje a serem encontradas, segundo ele, nos barrancos de areias que são deixando após as enxurradas e as enchentes durante as quadras invernosas do rio.
AS MOEDAS: 
Algumas encontra-se em péssimo estado de conservação, bastante deterioradas, possivelmente pelo tempo que permaneceram enterradas no fundo do rio, expostas às intempéries da natureza, além da corrosão e oxidação natural impostas aos metais. 
Outras apresentam uma melhor visibilidades das escrições e desenhos constantes. Sendo fabricadas de vários tipos de metais.
O que se faz notar a necessidade de um tratamento especializado, além da análise criteriosa por parte de especialista em Numismática, que é a ciência que tem por objetivo  estudar  moedas e  medalhas antigas das mais diferentes épocas.
"Tais preciosidades deveriam estar num museu no sentido de melhor  preservá-las e possibilitar por isso mesmo o acesso público da população  a este interessante documento  do nosso passado histórico e arqueológico, segundo explicou o secretário de cultura local, o professor José Cícero, que esteve visitando em primeira mão as citadas moedas(ver fotos acimas).
.............................................
Da Redação do Blog da Seculte e da Aurora.
Fonte:  http://blogdaaurorajc.blogspot.com.br/2011/06/noticias-urgentes-de-aurora.html 
edição do dia 3 e3 junho de 2011
..........................
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.
Fotos: José Cícero - 
Secult-Aurora

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Senado aprova projeto que permite a criação de 188 novos municípios

Se a moda pega...
O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (16), o texto substitutivo aprovado pela Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei Complementar do Senado (PLS-Comp) 98/2002, que estipula novas regras para a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios. O projeto, de autoria do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), foi aprovado com 53 votos a favor, 5 contrários e 3 abstenções.
O relator da matéria na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), senador Valdir Raupp (PMDB-RO), apresentou requerimento para votar em separado dois incisos que, explicou, proíbem a criação de municípios em áreas indígenas, de preservação ambiental e da União. As modificações, ressaltou, foram frutos de negociação com as lideranças do governo. O projeto segue agora para a sanção presidencial.
Durante a discussão da proposta em Plenário, o autor disse que a imprensa tem feito uma leitura equivocada do projeto, ao dizer que ele irá aumentar os gastos públicos. Mozarildo afirmou que, caso a lei que propôs estivesse em vigor há dez anos, 2,8 mil municípios não teriam sido criados. Lembrou que, pela primeira vez, é exigido um estudo de viabilidade tanto do município a ser criado quanto do que será desmembrado.
O substitutivo da Câmara condiciona a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios à realização de Estudo de Viabilidade Municipal (EVM) e de plebiscito junto às populações dos municípios envolvidos. Com a nova lei, as assembleias legislativas do país voltam a examinar a criação de novos municípios, o que não ocorria há 17 anos.
Como reação à excessiva multiplicação de entes federativos municipais em passado recente, alguns sem as mínimas condições econômicas de funcionamento, o Congresso Nacional aprovou a Emenda Constitucional nº 15, de 1996, que interrompeu a chamada “farra dos municípios”. O projeto de Mozarildo visa regulamentar essa emenda.
O parecer da CCJ ao substitutivo aprovado pela Câmara concorda com todas as alterações e acréscimos da daquela Casa ao projeto original, exceto em relação aos destaques já citados. Para a instalação de municípios em áreas de propriedade da União, de suas autarquias e fundações será necessário uma prévia autorização da União.
Principais tópicos
Entre outros pontos, a proposta estabelece:
- a criação, incorporação, fusão ou desmembramento só poderá ocorrer no período compreendido entre a posse do prefeito até o último dia do ano anterior ao pleito municipal;
- qualquer uma dessas ações terá início mediante requerimento endereçado à respectiva assembleia legislativa. O requerimento deverá ser subscrito por 20% dos eleitores residentes na área geográfica diretamente afetada, no caso de criação ou desmembramento, ou 10%, no caso de fusão ou incorporação;
- o cadastro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) será a base de cálculo para o número de eleitores necessários à admissibilidade dos requerimentos de alteração de fronteiras político-administrativas;
- tanto o município a ser criado quanto o município preexistente terão de ter população igual ou superior ao mínimo regional. O substitutivo propõe as regras para esse cálculo, uma para Norte e Centro-Oeste, outra para Nordeste e outra para Sul e Sudeste;
- o número mínimo de imóveis existentes no núcleo urbano do novo município deverá abrigar pelo menos 20% das famílias residentes no núcleo urbano original;
- os pré-requisitos populacional e imobiliário serão indispensáveis para a realização do EVM;
- o estudo de viabilidade deverá abordar as viabilidades econômico-financeira, político-administrativa, socioambiental e urbana, tanto do município preexistente quanto do município a ser criado;
- a viabilidade econômico-financeira envolverá receitas de arrecadação própria, receitas de transferências federais e estaduais, despesas com pessoal, custeio e investimentos, dívidas vencíveis e restos a pagar e resultado primário, relativos aos três anos anteriores ao da realização do EVM, além de serem atestados pelo tribunal de contas competente;
- o EVM também deverá conter estimativas de receitas e despesas referentes à possibilidade do cumprimento de aplicação dos mínimos constitucionais em educação e saúde, como também a outros “serviços públicos de interesse local” e ao cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal;
- a viabilidade político-administrativa envolverá estimativas sobre o número de vereadores do futuro município e o número de servidores necessários para os Poderes Executivo e Legislativo municipais;
- a viabilidade socioambiental e urbana deverá conter levantamento dos passivos e dos potenciais impactos ambientais;
- são criadas diretrizes para o estabelecimento dos limites geográficos dos municípios, que deverão ser preferencialmente estabelecidos por acidentes físicos, naturais e/ou artificiais;
- a viabilidade socioambiental também abordará redes de abastecimento de água, esgotamento sanitário e de manejo de águas pluviais; perspectiva de crescimento demográfico; estimativa de crescimento da produção de resíduos sólidos, líquidos ou gasosos de indústrias e residências; percentual de unidades de conservação e de áreas indígenas, quilombolas ou militares e proposta de compartilhamento dos recursos hídricos e da malha viária comum;
- o EVM deverá ser realizado no prazo de 180 dias e terá validade de 24 meses após sua conclusão;
- a Assembleia Legislativa terá de dar ampla divulgação ao EVM por 120 dias, inclusive pela internet, diário oficial estadual e jornal de grande circulação, e realizar pelo menos uma audiência pública em cada um dos núcleos urbanos envolvidos, para esclarecimento da população. Qualquer pessoa física ou jurídica poderá pedir a impugnação do EVM nesse prazo, caso verifique desrespeito às regras. As eventuais impugnações serão decididas pela assembleia legislativa;
- depois de aprovado e homologado o EVM, a assembleia pedirá ao Tribunal Regional Eleitoral a realização do plebiscito para consultar as populações dos municípios envolvidos. O plebiscito ocorrerá, preferencialmente, junto às eleições seguintes;
- se o plebiscito for pela rejeição, ficará vedada a realização de novo plebiscito para o mesmo fim no prazo de dez anos;
- se o plebiscito for pela aprovação, a assembleia votará projeto de lei definindo nome, sede, limites geográficos, comarca judiciária, limites dos respectivos distritos e forma de absorção e aproveitamento de servidores públicos;
- não poderá ser criado município com nome idêntico ao de outro que já exista;
- depois de aprovada a lei estadual, a eleição de prefeito, vice-prefeito e vereadores ocorrerá no pleito municipal imediatamente subsequente. A instalação do município se dará com a posse dos eleitos;
- também há um rol de providências a serem tomadas pela prefeitura e pela câmara municipal após a posse de seus mandatários, como a execução orçamentária e a organização administrativa. O novo município também deverá indenizar o município de origem pelas dívidas contraídas para a execução de investimentos em seu território.
Discussão
Vários outros senadores se manifestaram durante a discussão da proposta. O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) pediu a designação de relator, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), para o Projeto de Lei do Senado (PLS) 509/2011, de sua autoria, que determina, entre outros, que toda a população do estado seja ouvida em plebiscito para a criação de novos municípios.
A senadora Ana Amélia (PP-RS) elogiou o texto, que estipula critérios claros para a criação de novos municípios, tendo citado o limite mínimo de 12 mil habitantes. Já o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) afirmou que a proposta traz regras mais rígidas para a criação dos novos municípios.
A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) disse que a proposta fará com que se garanta efetivamente um processo que leve em conta a capacidade econômica e financeira de cada município a ser criado. Estimou que não mais de duas dezenas de distritos estejam hoje em condição de se emancipar.
O senador Blairo Maggi (PR-MT) lembrou que muitos distritos mato-grossenses ficam a mais de 400 quilômetros da sede de seus municípios. Para ele, é inconcebível que os parlamentares deixem perdurar uma situação como essa. O senador Humberto Costa (PT-PE) concordou que a proposta supre uma lacuna na legislação.
O senador Sérgio Souza (PMDB-PR) afirmou que a vida dos cidadãos nos municípios desmembrados no Paraná melhorou muito, sem que tenha havido o temido aumento de impostos.
O senador Mário Couto (PSDB-PA) informou que o distrito de Castelo dos Sonhos dista 1.100 quilômetros da sede do município de Altamira. O senador Jader Barbalho (PMDB-PA) também comentou as inconcebíveis distâncias de distritos paraenses das sedes de seus municípios.
Também manifestaram apoio à proposta, ao autor e ao relator os senadores Lúcia Vânia (PSDB-GO), Gim (PTB-DF), Eduardo Amorim (PSC-SE), Osvaldo Sobrinho (PTB-MT), Wellington Dias (PT-PI) e Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).
-------------------------------------
 MINISTÉRIO DOS ESPORTES PODE TER CEARENSE NO COMANDO

Ô Inácio, Inácio...homem da luta do povo...

“O nome que conta com o apoio da maioria do PCdoB para substituir Aldo Rebelo no Ministério do Esporte é o do senador cearense Inácio Arruda. As conversas com o Palácio do Planalto já estão em curso.
(Coluna Radar – Veja Online)
O  suplente de Inácio é Noronha Filho (PMDB), empresário e irmão do deputado federal Genecias Noronha, presidente do Partido da Solidariedade.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

AURORADAS ... Notícias da ribeira!

Filho do ex-prefeito Tonheta Gonçalves e equipe de imprensa da Câmara de Eusébio visitam sede da Secult-Aurora

Da Redação
Equipe é recebida pelo secretário JC na sede da Secult-Aurora
Momento da visita à exposição fotográfica: Aurora em memória
Filho de Aurora: Dedé de Tonheta sentado ao centro
José Anchieta(Dedé) filho do ex-pref. Tonheta Gonçalves
Imagens e depoimentos  para o projeto: A Casa do Parlamento
Repórter Adriano Roseno e o assessor da Secult-Aurora  João Silva
Equipe no centro da exposição imagética
Jc ladeado pelo repórter Adriano Roseno e Dedé deTonheta
Visita à Exposição da Secul-Aurora

JC ladeado por José Anchieta(Dedé) e seu amigo Zé Jorge
José Anchieta conversa com amigos de infância
Projeto "Casa do Parlamento" da Câmara de vereadores de Eusébio-CE; homenageará filho ilustre de Aurora 
Na manhã da última quarta-feira(09) uma equipe da Assessoria de imprensa  da Câmara de vereadores do município de Eusébio-CE esteve visitando a cidade de Aurora, oportunidade em que também foi visitada  a sede da secretaria de cultura do município. Os visitantes foram recebidos pelo secretário da pasta José Cícero. 
Capitaneada pelo aurorense - José Anchieta(Dedé), filho do ex-prefeito Antonio Gonçalves Pinto(Tonheta Gonçalves) que esteve à frente do executivo local por dois mandatos, ou seja, nos anos (1952 a 1956 e de 1960 a 1962), a equipe realizou uma série de entrevistas e imagens desde a sede a zona rural do nosso município.
Reportagem sede da Secult
A vinda dos representantes de Eusébio  à Aurora objetiva colher informações e depoimentos de populares e amigos de infância acerca da vida e da  trajetória política do ilustre filho de Aurora, o médico e  político  Acilon Gonçalves Júnior (Dr. Bilon), ex-prefeito por mais de uma vez do município de Eusébio-CE. E por sua vez, filho do renomado líder político e  ex-deputado da terra do Menino Deus, Dr. Acilon Gonçalves Pinto. 
Os dados e imagens, segundo o repórter e  assessor legislativo da Câmara de Eusébio, Adriano Roseno(foto) farão parte do Projeto  a "Casa do Parlamento" que está sendo formatado em homenagem ao Dr. Bilon, disse. 
Uma iniciativa, por sinal pioneiro no Estado do Ceará,  que será inaugurada no próximo dia 14 através de uma sessão legislativa  na cidade de Eusébio, onde deverão está presentes  algumas autoridades aurorenses, ressaltou.
....................................
Da Redação do Blog de Aurora
LEIA MAIS EM:
e no Orkut e  Facebook.
Foto: Secult - Edson Moreira
............................................

Secult promove reunião com secretários para discutir programação da Festa do Município 2013

Festa do Município:  Aurora ultima preparativos com vistas as comemorações dos seus 30 anos de emancipação

Com a perspectiva de dinamizar as atividades socioculturais e esportivas que deverão ser desenvolvidas durante a festa de aniversário dos 130 anos de Aurora este ano, a secretaria de Cultura e Turismo(Secult) tendo a frente o prof. José Cícero, reuniu na manhã da última quarta-feira, dia 09,  os secretários e representantes das pastas de Ação Social( Bernadete Gonçalves), Agricultura(José Dácio), Saúde(Jean Passos), Juventude e Esporte( Pedro Henrique), Coordenação da Vigilância Sanitário(Eliézio Pereira), Coordenação do NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família), Pâmela Bruna e Paula Emanuela; Coordenação da Biblioteca Pública ( Rita de Cássia),  além da Secretária de Gabinete do Prefeito, Betty Santos( ver fotos acima).
 O encontro, teve como principal objetivo  discutir as ações que cada secretaria e/ou setor da gestão municipal deverá desempenhar durante a tradicional festa do município edição 2013.  Comemorações alusivas ao aniversário dos 130 anos de emancipação cívico-política do município de Aurora.
Em face  de outros compromisso inadiáveis,  não puderam participar  do encontro os representantes da secretaria de educação e administração, igualmente convidadas. Mas que deverão tomar partes e ciência das ações acordadas para compor a programação festiva do evento em sua V edição 2013.

Tradicionalmente, como acontece todos os anos, a  Festa do Município agora na sua edição 2013  ocorrerá no próximo dia 10 de novembro – dia oficial do município – tendo como local o entorno da praça da matriz no centro da cidade. Sendo que, durante os dia 09 e 10  haverá ainda uma série de atividades culturais, artística e esportivas na praça da estação ferroviária, tais como: feira de artesanato, apresentação de repentistas, exposição fotográfica, teatro de bonecos, gincanas estudantis, além de torneio de futsal na quadra poliesportiva e atletismo. Ainda, desfile e escolha da rainha do município 2013, a cavalgada municipal, assim como atendimentos de saúde e exposição de produtos da agricultura familiar. 
Para marcar simbolicamente a passagem do 130º aniversário de Aurora, uma espécie vegetal típica do bioma aurorense estará sendo plantada no centro da praça da estação pelo prefeito Adailton Macedo, disse o secretário José Cícero. 
Também é possível que o 'caminhão da cidadania' venha prestar serviço à população no dia do município, como também  a participação do pessoal da CEART-Cariri, conforme explicou no encontro a secretário de Ação Social Bernadete Gonçalves. Atrações surpresas deverão abrilhantar a Festa do Município este ano, além da prata de casa, enfatizou o representante da Secult-Aurora.
.............
Da Redação do Blog de Aurora e da Secult.LEIA MAIS EM:
www.afaurora.blogspot.com
e no Orkut e  Facebook.
Foto: Secult - Edson Moreira
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Artigo Científico - Por Luiz Carlos de Aquino Pereira*

CHAPADA DO ARARIPE – CARACTERÍSTICAS GERAIS DE SUA ÁREA DE INFLUÊNCIA (1)

Luiz Carlos Aquino(autor)
As potencialidades naturais e econômicas da Microrregião Cariri se constituem em significativas vantagens comparativas no contexto não apenas do Estado do Ceará, mas do Nordeste como um todo. A disponibilidade de solos profundos, bem drenados, férteis ou com pequena restrição de fertilidade permite a exploração de culturas diversas, associadas a agroindústrias agregadoras de valores. Os acidentes geográficos favorecem a suavidade do clima, agradável nas encostas da Serra do Araripe e quente em outras áreas, mas, de modo geral, aprazível.
O acervo paisagístico, combinado com o clima agradável de uma região serrana e com toda uma infra-estrutura de balneários dinamiza o Setor do Turismo. Sem falar na riqueza cultural, em suas várias manifestações, e nas potencialidades do turismo científico em um dos mais ricos sítios arqueológicos do País – a Reserva Fossilífera da Chapada do Araripe. Ademais, não se pode deixar de destacar a importância do turismo religioso, centrado na figura do Padre Cícero, que atrai devotos de várias procedências.
Por sua vez, a posição estratégica em relação às capitais nordestinas, transforma o Cariri num importante Pólo Comercial do Nordeste, “com fácil acesso a um mercado de mais de 40 milhões de consumidores”. Neste caso, tomando como eixo central o aglomerado urbano formado pelas cidades vicinais de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, onde está concentrado um considerável parque industrial, além do exuberante setor de serviços.
Numa dimensão ambiental ou ecorregional, o município de Jardim é parte integrante da CHAPADA DO ARARIPE; um extenso planalto situado entre os estados do Ceará, Pernambuco e Piauí. Nessa Biorregião, o clima vai de tropical quente sub-úmido a tropical quente semi-árido brando, a depender da altitude e da longitude. Também obedecendo a este gradiente submete-se a precipitação média anual, que varia de 698mm no setor ocidental a 934mm no setor oriental; mas acima dos 1.000mm sobre as chapadas mais altas. O período chuvoso ocorre entre dezembro e maio.
No topo da chapada predomina os Latossolos, bem formados, profundos, de fertilidade natural baixa e textura arenosa a areno-argilosa, com acentuada drenagem, a ponto de disponibilizar pouca água de superfície. Aliás, a água que se infiltra sobre a chapada corre por baixo do solo até emergir nas encostas dando origem às inúmeras fontes d’água que embelezam o Vale Caririense. Na cuesta, há uma maior diversidade de tipos de solos, que ainda apresentam em geral maior fertilidade natural do que os Latossolos do topo. A altitude varia de 700 a 950m em relevo tabuliforme. Quanto à vegetação, ocorre a Floresta Pluvial (basicamente nas encostas da chapada) além de formações caracterizadas pela transição Floresta/Cerradão, Cerrado e Carrasco.
Desempenhando importante papel na manutenção do equilíbrio ecológico, climático, hidrológico e edáfico do Complexo Sedimentar do Araripe encontra-se a FLORESTA NACIONAL DO ARARIPE – FLONA; a primeira Unidade de Uso Sustentável criada no Brasil (Decreto 9.226, de 02.05.1946). Tem uma área territorial de 39.262,326 hectares, abrangendo parte dos municípios de Santana do Cariri, Crato, Barbalha e Jardim. Em sua relevante importância de exploração sustentável a FLONA fornece alimento (pequi, cajuí, mangaba, etc.), energia (material lenhoso seco) e remédio (fava-d’anta ou faveira, janaguba, barbatimão); além da atração turística pela recreação e lazer, educação ambiental, pesquisa científica, etc.
No aspecto socioeconômico a região caracteriza-se pela presença de atividades extrativas (produtos florestais não madeireiros e plantas empregadas com fins alimentícios, medicinais e ornamentais), agropecuárias (cana-de-açúcar, abacaxi, mandioca, fruticultura, gado leiteiro, apicultura, ovinocaprinocultura etc.); industrias de transformação (gesso, couro e calçados, indústrias de alimentos, têxteis e farmacêuticas); artesanato, comércio e serviços; vida cultural e religiosa (romarias e peregrinações); turismo etc.
Com relação ao extrativismo, as comunidades extrativistas ali encontradas, ao longo de décadas vêm utilizando a Fava-d’anta, também chamada de Faveira (Dimorphandra gardneriana), o Pequi (Caryocar coriaceum Wittm.) e a Janaguba (Hymathanthus articulatus). É o extrativismo da fava-d’anta o de maior importância econômica, dado o grande interesse da indústria farmacêutica. A rutina, substância bioflavanóide presente nas vargens, “desempenha função na normalização da resistência e permeabilidade das paredes dos vasos capilares” e é totalmente demandada pela empresa alemã MERCK. Também de relevante importância econômica e social está a cata do pequi, cujos frutos são utilizados na alimentação humana e para extração do óleo. Por outro lado, “a elevada demanda do mercado aumenta a pressão sobre as populações naturais das espécies, visto que todo produto comercializado é oriundo do extrativismo. Apesar de décadas de extração, não se verifica o desenvolvimento de estudos (ecologia, demografia, dinâmica de populações etc) que avaliem o impacto da extração sobre as populações naturais das espécies envolvidas de forma a assegurar a sustentabilidade dessas atividades extrativistas.
(1) O artigo é parte de um Laudo Técnico produzido em 2008, com referência ao Município de Jardim/CE, integrante da Chapada do Araripe;

*(2) LCAP - Engenheiro Agrônomo, graduado pela Universidade Federal do Ceará;

Mestre em Economia Rural pela Universidade Federal do Ceará

Perito Federal Agrário do INCRA - CEARÁ
.........................
LEIA MAIS EM:

www.afaurora.blogspot.com
e no Orkut e  Facebook.
Foto: arquivo do autor 
.................................................................................................................... 

AURORA: No dia em que o último Trem de Passageiro passou por aqui - Por José Cícero*

Estação de Aurora - Revitalização e tombamento municipal(arquivo Secult)
Passagens de Ida e Volta  à capital cearense julho de 1988(cortesia C. Teixeira)

Há vinte e cinco anos atrás partia para nunca mais voltar o velho e inesquecível trem de passageiro do nosso Cariri. Uma saudade que há muito soa também como um sentimento de tristeza e de revolta por conta do total descaso político perante o fim melancólico e suspeito de um bem verdadeiramente social. Algo que ao longo de anos a fio, aprendemos chamar pelo seu nome simples de Trem.

Além do silêncio cúmplice de muitos potentados diante da inexplicável interrupção do transporte ferroviário do nosso interior.  Algo que se espalhou por todos os rincões do Brasil. Verdadeiro crime de lesa-pátria, já que o trem há muito fazia parte da vida sócio-cultural e econômica do povo, sobretudo do Nordeste. E em especial os mais pobres habitantes dos sertões adentro. Sem dúvida, um  autêntico patrimônio histórico de todas as gerações interioranas que em meados dos anos 80 foi tirado de nós.

Em Aurora o último trem de passageiro vindo do Crato em direção à Fortaleza passou numa tarde ensolarada e calorenta do dia 10 de julho de 1988. Foi-se embora de vez sem nenhuma despedida formal. Como se tudo estivesse combinado à surdina. Isto é, á revelia da população.

A ninguém foi dado sequer o direito da despedida. Do último adeus. Do derradeiro aceno. Do último olhar para que a sua imagem ficasse mais viva para sempre na memória afetiva do povo.

Mas em Aurora, o Agente NEM não se conteve de emoção e avisou para os que compraram passagem naquele dia. Assegurava que aquele seria o trem da ida sem volta. O trem da despedida. Como narrou o aurorense – Cícero Teixeira, que comprara a passagem da foto, com destino à  capital.

Muitos nem acreditaram naquela inusitada informação. O trem estava tão presente nas suas vidas que tinham a certeza de que ele seria para sempre. O trem era de ferro jamais se acabaria. E logo em 88 quando se almejava a Carta Magna, o trem era de fato para todos eles, uma ‘causa pétrea’. Uma conquista eterna.

Em vão, achavam que os políticos não teriam a coragem e a sem-vergonhice de por um fim àquela invenção histórica, cuja existência, precisou de tantas vidas para poder chegar até ali nos grotões do mundo. Mas, o agente estava certo. O sino batia diferente como quem anunciava um féretro. Poucos foram os que estavam na pedra da estação naquele dia. O trem d’Aurora partira para sempre. Diferente do que ocorreu nas cidades de Granja e Camocim na zona norte, quando a população avisada antecipadamente, encheram as estações. Choravam copiosamente e se recusaram até a sair do meio da linha. E quanto o comboio partira todos correram atrás gritando de tristezas como loucos alucinados...

Desde então, desde a João Felipe na capital, todas as estações ficaram desertas. Muitas cidades e muitas vilas, assim como as pessoas ao longo da linha de ferro cobriram-se de silêncio, tristeza e solidão.

Para onde quer que se ande, a linha de ferro com seus dormentes carcomidos pelo tempo agora é um símbolo de luto a se estender pelos sertões...

De lá para cá são tantas as conversas, as mentiras e as promessas políticas. Tudo ludibrio  para angariar os votos dos incautos sertanejos.

E o abandono das antigas estações, quando não demolidas, nos doe como feridas mal curadas. Além de uma história mal resolvida ante o acerto de conta do passado com o presente que nunca se completa.

Tudo o mais são lembranças, saudades, revoltas ou pura solidão.
......................
Por José Cícero
Secretário de Cultura
Aurora - CE.
LEIA MAIS EM:

www.afaurora.blogspot.com
e no Orkut e  Facebook.
Fotos JC - cortesia Cícero Teixeira
---------------------------------------------------------------

Verdadeira festa marcou a noite do Cariri Cangaço na cidade de Aurora

Pref. Adailton Macedo no momento da sua fala na abertura do seminário
 
Participação do grupo de Penitentes no momento da litania e oblação
Penitentes da Ordem Santa Cruz d'Aurora
Dr. Vicente Landim de Macedo no momento da Palestra
Apresentação da jovem dupla de repentistas da terra: Alex e Edivânio
Mesa dos debatedores: Ivanildo, Juliana, Lamartine e José Cícero
Jantar no CSU para  os visitantes amigos do Cariri Cangaço
Painel do Cariri Cangaço: Marica Macedo do Tipi
Jantar no CSU regado a bo
Dupla de poetas  violeiros da terra - Alex e Edivânio

Participantes do CC durante o jantar no CS

POPULAÇÃO DE AURORA PRESTIGIA NOITE DO CARIRI CANGAÇO EM SUA EDIÇÃO 2013

Numa noite de celebração Aurora promoveu um verdadeiro (re)encontro do passado com o presente, através de mais uma edição do Seminário Cariri Cangaço. Uma discussão que trouxe como tema a célebre e controversa história de Marica Macedo do Tipi. Ela que ao lado de D. Fideralina de Lavras da Mangabeira compôs a histórica dupla de matriarcas do Cariri Oriental, razão porque não foi à toa que ficaram  também conhecidas sob a alcunha de  "as conéis de saia" do sertão.
Na sua fala o prefeito Adailton Macedo ressaltou a importância do CC  para o fortalecimento da história de Aurora e da região, assim como da figura histórica de Marica Macedo, o que também foi enfatizado pelo secretário de cultura José Cícero. 
Já o curador Manoel Severo, além de elogiar a organização do evento local também ressaltou o papel de Marica Macedo na história do Cariri, assim como destacou o empenho do prefeito Adailton e do secretário JC durante as três edições em que Aurora sedia o acontecimento. Na mesa dos debates, também se pronunciaram a Drª Juliana Schiara(Quixadá), Dr. Lamartine Lima e o Dr. Ivanildo Silveira(Natal), ambos foram unânimes  quanto a interessante história de Marica Macedo, bem como na formidável explanação do palestrante da noites. Todos também elogiaram  a Cidade e a organização do evento.
A explanação acerca da história de Marica, ficou a cargo do seu neto, o Dr. Vicente Landim de Macedo radicado na capital federal há mais de meio século. Uma palestra, por sinal, das mais ricas e esclarecedoras  para todos os que desejam sempre aprender um pouco mais sobre os acontecimentos marcantes tanto de Aurora quanto dos sertões do Cariri e do Nordeste. Algo que jamais poderia ser dispensado, principalmente pela comunidade acadêmica, estudantes, professores e formadores de opinião de um modo geral.
Entrada do auditório
O auditório da escola técnica ficou literalmente  pequeno diante do grande número de pessoas que compareceu ao evento, além de pesquisadores nordestinos e familiares da homenageada. Uma grande caravana  de entusiastas dos temas sertanejos e lampiônicos capitaneada pela curadoria do Cariri Cangaço também compareceu ao seminário. Sem que antes realizaram visitações técnicas ao antigo casarão do clã Macedo na vila Tipi e a famosa  fazenda Ipueiras que um dia pertenceu ao coronel Isaías Arruda. 
A comitiva também visitou a antiga estação ferroviáriA local do antedado contra o cel. Isaías Arruda em agosto de 1928. Em seguida, o Casarão da Reffesa sede da secretaria de cultura e turismo.
Figuras ilustres e reconhecidas do tema do cangaço e da história dos sertões  estiveram presente em Aurora
participando do acontecimento, dentre as quais o Dr. Lamartine de Lima, a antropóloga e professora da UERJ Luitgarde Oliveira Cavalcanti  Barros, o renomado escritor do cangaço Antonio Amaury Correia, Archimedes Marques, Antonio Villela, os pesquisadores Kydelmir Dantas e João de Sousa Lima entre outros. 
No aspecto das atrações culturais, destaques para a notável participação do grupo dos Penitentes da Ordem santa Crz de Aurora que abrira o evento, seguida da dupla de violeiros da terra - uma das mais jovem do Nordeste - formada pelo irmãos  Alex Luna e Edivânio Luna do sítio Oiticica, cuja performance agradou e encantou a todos os que estavam presentes.
A curadoria do CC também homenageou no final  o prefeito Adailton Macedo, o Dr. marcolino Lira, o Dr. Vicente landim de Macedo e a fila do coronel Isaías Arruda - Orlandina Bruno Arruda de Figueiredo(ver fotos).
Após a solenidade, o município ofereceu a todos os convidados e visitantes uma belo jantar regado a muito forró de pé de serra animado pelo Trio Forró Pesado nas dependências do Centro Social Urbano(CSU)  na vila Paulo Gonçalves. A ornamentação centrada na temática sertaneja tanto do auditório quanto do CSU  foram itens que chamaram a atenção dos presentes, em virtude do esmero e da elegância com que foram confeccionados e construídos uma trabalho da equipe da Secult-Aurora.
Na mesma oportunidade o Dr. Vicente Landim de Macedo apresentou o seu novo trabalho literário - 'Tipi, de arbusto à distrito' - que será oficialmente lançado no sábado, dia 21 na comunidade do Tipi com apresentação dos repentista mirins Alex e Edivânio. Onde também ocorrerá a celebração de uma missa na capela local oficiada pelo bipso Dom Fernando Panico.
O Cariri Cangaço que teve início no último dia 17  ocorre em sete municípios caririenses tratando dos mais diferentes assuntos intimamente ligados à temática sertaneja e nordestina. O mesmo prosseguirá até  domingo dia 22, cujo encerramento acontece na cidade do Crato.
Um acontecimento que, conforme opinou o secretário José Cícero "de tão festejado, eclético, rico e participativo já começa a deixar saudades...Um verdadeiro marco no calendário festivo e cultural da região. Algo que no seu conjunto expressa as grandes qualidades sul cearenses, tendo como pano de fundo a própria realidade das gentes do Nordeste nas suas agruras, resistência, sofrimento, arte, cultura e valentia. E que igualmente projeta e evidencia no além-fronteiras as artes, os valores e a história de todos os municípios envolvidos. Que venha logo 2014", disse.
.................................
Da Redação do BLOG DE AURORA.
LEIA MAIS EM:
www.afaurora.blogspot.com
e no Orkut e  Facebook.
Fotos: Adriano de Sousa Anão/JC Secult